Svami Vivekananda

Swami Vivekananda (12 de janeiro de 1.863 - 4 de julho de 1.902), nascido Narendranath Dutta, foi o principal discípulo de Svami Ramakṛṣna e um porta-voz mundial do Vedānta. Dotado de profunda espiritualidade e poderoso intelecto, teve uma vida curta (viveu somente 39 anos), mas altamente produtiva.

 

Em seu veemente anseio de conhecer a verdade sobre Deus, o jovem Vivekananda questionava com freqüência os homens reputados como santos e sábios da Índia de então, perguntando se eles tinham visto Deus. Sua busca teve fim ao encontrar Ramakṛṣna, que lhe respondeu sem hesitar: "Sim, já vi Deus. Eu O vejo como vejo você aqui, só que mais claramente... Deus pode ser realizado. Pode-se vê-Lo e conversar com Ele, assim como o estou fazendo com você". A partir de então, torna-se discípulo de Ramakṛṣna, seguindo seus ensinamentos e alcançando a mais elevada realização espiritual.

 

Depois da morte de seu mestre (em 1.886), Vivekananda renunciou ao mundo e peregrinou, como monge errante, por toda a Índia. Sentiu-se profundamente tocado pela riqueza espiritual de seu país, mas também pela extrema pobreza material de seu povo. Isso o levou a buscar ajuda material do ocidente para minorar esse sofrimento. Diante da oportunidade de representar o hinduísmo no Parlamento das Religiões de Chicago, em 1.893, sentiu que esse era o momento de dar início à sua missão. Conquistou notoriedade na América do Norte a partir desse discurso, marcado pela ausência de proselitismo dogmático e pela apologia da coexistência fraterna entre religiões. Em 1.897, ao retornar à Índia, funda a Ordem Ramakrishna.

 

Foi o primeiro iogue a partir para o Ocidente para divulgar o ensinamento dos Vedas. Em virtude da universalidade e do caráter inclusivo de seus ensinamentos, encontrou ampla receptividade de uma audiência que, por sua vez, estava ávida por ensinamentos espirituais genuínos e não dogmáticos. Assim, Vivekananda conquistou instantânea notoriedade na América do Norte. Entre muitas personalidades que foram influenciadas por seu ideal estão Mahatma Gandhi, Leon Tolstói, Aldous Huxley, Christopher Isherwood e  Joseph Campbell.

 

Por alguns anos divulgou a filosofia vedanta nos Estados Unidos e na Inglaterra. Em seu retorno à Índia, em 1897, fundou a Ordem Ramakrishna, cujo lema é: "Buscar a própria realização espiritual e servir a Deus no homem". A instituição enfatiza o caráter universal do hinduísmo e o trabalho missionário, social e educacional.

 

Ídolo da juventude hindu do início do século XX, consagrou-se como defensor da tolerância religiosa, analista das questões sociais da época, propagador da filosofia Vedānta, assim como dos 4 principais ramos da Yoga, Karma Yoga, Bhakti Yoga, Jnana Yoga e Raja Yoga, além de inovador no esforço de examinar pontos de convergência do pensamento ocidental e oriental acerca de temas ligados à Ética e à espiritualidade.

 

As obras e palestras se caracterizam pelo exame aprofundado acerca da importância da postura fraterna e solidária em pensamentos, sentimentos e ações, assim como pela convicção de que não se deve apregoar a prevalência de uma religião sobre a outra, nem se servir do discurso religioso para justificar ou incentivar atos de fanatismo e prepotência.

 

É considerado um dos mais célebres e influentes líderes espirituais do hinduísmo moderno, sobretudo da filosofia Vedānta. Foi pioneiro na divulgação no Ocidente, e inspirador do movimento do espiritualismo universalista. Para Vivekananda a religião constitui instrumento de autoconhecimento e auto-superação.