Sri Ramakrishna

Ramakrishna Paramahamsa, nascido Gadadhar Chattopadhyay nasceu na vila de Kamarpukur (18 de fevereiro de 1836 - 16 de agosto de 1886), que é agora um distrito santificado de Bengali ocidental. Foi um dos mais importantes líderes religiosos da Índia, e foi profundamente reverenciado por milhões de Hindus e não-Hindus como um mensageiro de Deus. Ramakrishna foi uma figura influente na Renascença Bengali do século XIX. Swami Vivekananda, um dos seus maiores discípulos assim descreveu Ramakrishna Paramahamsa:

"Ele que foi Rama, Ele que foi Krishna, agora é Ramakrishna neste corpo."

Seus pais, Khudiram e Chandramani, eram pobres e sempre tiveam grandes dificuldades. Gadadhar era conhecido como mascote da vila. Ele era considerado habíl com as mãos e tinha o dom natural para a arte. Ele, entretanto, não gostava de ir para escola, e não tinha interesse em ganhar dinheiro. Ele adorava a natureza e passava horas nos campos e jardins frutíferos fora da cidade, com seus amigos. Ele era visto visitando os monges que fazia o trajeto para Puri. Ele os ajudava e escutava com atenção, os debates religiosos que eles frequentemente tinham.

Infância

Quando os preparativos para Gadadhar ser investido no caminho sagrado (Upanayana) estavam quase completos, ele declarou que teria sua primeira alms como Brahmin de uma certa mulher da etnia Sudra da vila (os hindus são extremamente precoceituosos e uma sudra é considerada uma intocável). Este foi um choque nos dias em que as tradições exigiam que a primeira alms fosse uma brahmin, mas ele foi inflexível. Ele disse ter dado a sua palavra a mulher e se ele não mantivesse a sua palavra, que tipo de Brahmin ele poderia ser? Sem argumento, sem apelo, não importando as lágrimas para convencê-lo ele ficou firme na sua posição. Finalmente, Ramkumar, seu irmão mais velho e cabeça da familia após a morte do seu pai, deu seu consentimento.

Enquanto isso, a condição financeira da familia piorava a cada dia. Ramkumar foi para uma escola de Sânscrito em Calcutá e também serviu como sacerdote pandit para algumas famílias. Nesta época, uma mulher rica de Calcutá, Rani Rashmoni, fundou um templo em Dakshineswar. Ela pediu para que Ramkumar servisse como sacerdote no templo de Kali e Ramkumar concordou. Após certa persuasão, Gadadhar concordou em decorar a deidade. Quando Ramkumar se afastou, Gadadhar tomou seu lugar como sacerdote.

Carreira como sacerdote

Quando Gadadhar começou a adorar a divindade Bhavatarini, ele começou a se questionar se ele estava adorando um pedaço de pedra ou uma deusa. Se ele estava adorando um ser vivo, por que ela não respondia à sua adoração? Esta questão o perturbava dia e noite. Então, ele começou a rezar para Kali: "Mãe, você deu tantas dádivas aos seus devotos no passado e se revelou a eles. Por que não quer se revelar à mim também? Eu não sou também seu filho?"

Ele era conhecido por chorar de forma insistente e às vezes ruidosa enquanto a adorava. Em uma noite, ele foi para um floresta próxima e passou toda a noite rezando. Um dia, diz a lenda, que ele estava tão impaciente para ver mãe Kali que decidiu terminar com a sua vida. com este intuito, ele pegou uma espada que ficava pendurada na parede e ia usá-la contra si mesmo quando viu uma luz em forma de ondas saindo da imagem da deusa, e foi envolvido por estas ondas caindo no chão inconsciente.

Gadadhar, insaciável, rezou ainda mais para a Mãe Kali para poder experimentar outras experiências religiosas. Ele queria sobretudo conhecer o que as outras religiões ensinavam de verdadeiro. Estranhamente, este professores vieram à ele quando foi necessário e ele disse-lhes que alcançar a meta final das outras religiões era fácil. Ramakrishna trilhou diferentes caminhos religiosos dentro do hinduísmo. Praticou depois o islamismo e mais tarde meditou profundamente em Cristo, experimentando a mesma divina Realidade também através destes caminhos não-hindus. Assim, chegou à conclusão, baseada na experiência direta, de que os diversos caminhos religiosos, quando seguidos com sinceridade de coração, conduzem à mesma e única Realidade.

Assim, rapidamente ele ficou conhecido e pessoas de todos os locais e posições começaram à vir ao seu encontro. Via Deus em tudo e em todos. Seu amor pela humanidade não conhecia limites. Dizia, com freqüência, que os seres humanos eram as mais elevadas manifestações de Deus. Seus discípulos, muitos deles jovens estudantes universitários de Calcutá, foram os primeiros a sentir e a compreender esse amor.

Iniciação

Ramakrishna foi iniciado em Advaita Vedanta por um monge peregrino chamado Totapuri, na cidade de Dakshineswar. Totapuri era "um professor viril de aparência severa e feições ásperas, e uma voz forte". Ramakrishna logo afetuosamente apelidou o monge de Nangta ("homem nu"), por ele ser um sannyasin (renunciante), que não usava roupas (Swami Nikhilananda, The Gospel of Sri Ramakrishna (1972), Ramakrishna-Vivekananda Center, New York):

Eu disse a Totapuri em desespero: "Isto não é bom. Eu nunca serei capaz de libertar o meu espírito para um estado incondicionado e estar face a face com o Atman." Ele repreendeu severamente: "O que você quer dizer com não pode? Você deve!" olhando para ele, ele achou um pedaço de vidro. Ele pegou e bateu num ponto entre as minhas sobrancelhas e disse: "Concentre sua mente neste ponto." [...] A última barreira desaparecereu e meu espírito imediatamente precipitou-se para além do plano de condicionamento. Eu me perdi em samadhi.

Roland, Romain The Life of Ramakrishna (1984), Advaita Ashram

Após a partida de Totapuri, Ramakrihsna permaneceu por seis meses em estado de contemplação:

Por seis meses, Eu permaneci em um estado do qual homens normais nunca voltaram; geralmente o corpo despenca, após três semanas, como uma casca vazia. Eu não tinha consciência do dia e da noite. Moscas entravam em minha boca e nariz como se eu fosse um corpo morto, mas eu não os sentia. Meu cabelo ficou emaranhado com poeira.

Swami Nikhilananda, Ramakrishna, Prophet of New India, New York, Harper and Brothers, 1942, p. 28.

Vida de casado

Os rumores espalham por Kamarpukur que Ramakrishna tinha ficado louco em conseqüência dos excessos dos exercícios espirituais em Dakshineswar. Os vizinhos alarmados disseram à mãe dele que ele deveria casar, de modo que estivesse mais ciente das suas responsabilidades com a família. Longe de opor-se ao casamento, ele indicou Jayrambati, a três milhas ao noroeste de Kamarpukur, como a aldeia onde a sua noiva podia ser achada na casa de um Mukherjee de Ramchandra. Uma criança de seis anos, Sri Sarada, foi achada e o casamento foi devidamente realizado. Sri Devi Sarada foi a primeira discípula de Ramakrishna. Ele tentou ensinar-lhe tudo que aprendera com seus vários Gurus. Acredita-se que ela tenha dominado cada segredo religioso como a mesma rapidez que Ramakrishna.

Impressionado por seu potencial religioso, ele começou a tratá-la como a Mãe Universal e executou um Puja considerando Sarada como verdadeira Tripura Sundari Devi. Disse, "considero você como o própria Mãe e a Mãe que está no templo". O Ramakrishna impressionou-se, sobremaneira, com Sarada Devi ao ponto de torná-la não apenas a mãe de seus discípulos mais jovens, mas também da humanidade inteira. Inicialmente, Devi Sarada era tímida sobre este papel, mas lentamente, encheu-se com coragem e aceitou.

Sua renúncia, mencionada pelos devotos como a sua qualidade principal, ela compartilhou com seu marido de forma semelhante, se não além. A natureza verdadeira de seu relacionamento e parentesco esteve além da compreensão das mentes comuns. Sri Ramakrishna concluiu, depois de acabar o casamento com ela, que seu relacionamento e atitude em direção a ele firmemente foram baseados numa conduta totalmente espiritual. Os devotos acreditam que, apesar de compartilharem uma vida juntos, dia e noite, nenhum pensou no outro de outra forma, que não a espiritual. Conta-se que tal relacionamento divino entre duas almas de gênero oposto é rara e sem registros religiosos, não sendo conhecido em qualquer bibliografia do passado. Depois do afastamento de Ramakrishna, Devi Sharada tornou-se uma professora religiosa.

Vida posterior

Logo ele veio a ser conhecido como Ramakrishna Paramahansa, e como um magneto, começoua atrair discipulos genuínos. Ensinou incasandamente por quinze anos por parábolas, metáforas, canções e acima de tudo pela própria vida, as verdades básicas de religião. Ele desenvolveu câncer de garganta e alcançou o Mahasamadhi numa Casa de Jardim em Cossipore no dia 16 de agosto de 1.886, deixando para atrás um grupo de 16 jovens discípulos encabeçado pelo santo-filósofo sábio e orador, Swami Vivekananda. Entre seus contemporâneos, Keshab Chandra Sen e Pandit Ishwara Chandra Vidyasagar, que foram conhecidos por sua posição contra adoração a ídolos, foram seus admiradores.

"É pela vontade de Deus que diferentes religiões e opiniões vieram à existência. Deus dá a diferentes pessoas o que elas podem digerir."

— Sri Ramakrishna